X

Endividamento

O endividamento bruto em 30 junho de 2019 era de R$1.871 milhões contra R$335 milhões em 30 de junho de 2018. O aumento no endividamento refere-se à emissão da 11ª escritura de debêntures simples, não conversíveis em ações, com o objetivo de pagar a outorga para a renovação da UHE Porto Primavera e com remuneração correspondente a 100% da variação acumulada das taxas médias diárias dos Depósitos Interfinanceiros – DI de um dia, acrescida de sobretaxa de 1,64% ao ano, sendo que o pagamento da remuneração será realizado semestralmente e o principal terá prazo de vencimento em 7 anos e carência de 3 anos.

Em 30 de junho de 2019 o prazo médio da dívida era de 4,7 anos. A dívida bruta está alocada majoritariamente em moeda nacional e indexada ao CDI.

Cronograma de Amortização (R$ milhões) (1)

(1) Contratos de dívida com a Fundação Cesp que, com base na avaliação atuarial realizada por atuário independente, seguindo os critérios determinados pelo CPC 33, apresentaram saldo zero no passivo circulante e não circulante em 31/06/2019 e 31/06/2018. Não considera dívida com Eletrobrás no montante de R$ 2,2 milhões e Eletropaulo no montante de R$ 1,1 milhão

Endividamento bruto por indexador

A posição de caixa e equivalentes de caixa no dia 30 de junho de 2019 era R$466 milhões contra R$508 milhões em 30 de junho de 2018. Enquanto a dívida líquida totalizou R$1.405 milhões contra uma posição de caixa líquido de R$173 milhões no 2T18, impactado pela emissão realizada no 1T19 da 11ª escritura de debêntures simples, não conversíveis em ações, mantida em caixa com o objetivo de pagar sobretudo a outorga de renovação da usina de Porto Primavera (R$1,4 bilhão) e dividendos (R$297 milhões).

Alavancagem

A alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e EBITDA ajustado, ficou em 4,0x no 2T19, aumento em relação ao 2T18, quando a Companhia tinha um perfil de caixa líquido.

Dívida Líquida (R$ milhões) e Alavancagem (1) (x)

(1) Alavancagem medida pelo ratio Dívida líquida/ EBITDA ajustado UDM.